quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Poema Dum Amor Não Catalogado - 2




O que me importa
É dizer NÃO às magrelas!!

Acho graça
Quando o velcro e a fivela
Não se lacra, não se prendem
Em teu espaço-corpo de fofa Cinderela.

Tenho o maior desejo
Mas morro de medo no sofá
Eu digo: "Fá...!
Quando em disparada
Vens pra me amassar.
'Ah, que lindo meu amor
Seja onde for
Tuas gordurinhas tocar!'

Detesto ver
Propaganda de aparelho
Pra não engordar, detesto!
E corro pra geladeira
Procurar algum resto!
[mas não pensem que sou comilão,
apenas convivo com meu problema glandular,
não sou nenhum sabichão,
tô nem aí pra meu perfil singular.]


Desculpem-me os corpos perfeitos
De seios e bundas siliconados,
Desculpem-me os bombados
E as bombadas
De zero açúcar
Zero gordura 'trans'
Suplementos alimentares...
Fãs
De espelhos de academias
Narcisos dos lares.

Sou um atleta perfeito
A sussurrar no peito
O que me deixa teso,
Digo a Fá que vem de ré sem dó
Somos um casal de peso
Um casal cliente-especial
Nem ligamos pra nossas varizes
Vagamos em  lojas de shoppings
 Tipo "Gordinhos Felizes"
Especializadas em corpanzis GGG
E roupas 'démodé'.

Mas, minha querida
Digo num monólogo de vida
És minha fonte de prazer
Nosso amor  ocupa mais espaço
Que possa parecer.

Fim.



***