o que me mata.





o que me mata e esta esperança num amor que nunca vai acontecer; por isso escrevo poemas para torná-lo real. o que me mata é este meu medo
que me faz correr da verdade em minha luta por este amor impossível. 
o que me mata é ver meus dias se escoando: parece que o dia a dia nos separa e ser infeliz é meu castigo. o que me mata é a tua passividade em ver-me sofrendo e, simplesmente, esperar por um milagre. esta minha felicidade, que é você, me mete medo sim, mas tenho coragem de romper todas as regras e quebrar a cara por um momento a teu lado. a nossa união está tão perto que nem acreditamos. te amo em palavras, mas já não consigo
suportar a distância que nos separa. bom seria criarmos um mundo possível

que só nós soubéssemos até  perdermos o medo que nos envolve.

talvez, daí em diante, o que mais me mataria  fosse olhar pra trás e ver o tempo
que perdemos...


**

Companheiros de Estrada & Amigos