de Quintana para mim.








"Já não posso fazer poemas
Nem corrigir suas arestas

Apenas sobrevoo
Sobre telhados de casas funestas
Donde saem versos antológicos
- os maiores -
Dum olho ou de olhos
Que espia ou espiam
Vagos pensares
Como água cristalina
Vertendo pelas frestas."

***

Companheiros de Estrada & Amigos