a primeira vez de tudo.







quando calcei o primeiro par de sapatos,
saí andando torto.

quando ganhei a primeira bicicleta,
descendo por uma ladeira -- caí.

quando tive o primeiro amor,
me iludi.

quando ganhei o primeiro beijo na boca,
disfarcei e cuspi.

hoje velho, na mesma ladeira ando torto,
caio, me iludo e cuspo.

depois de anos,
no pó do que passou,
pela primeira vez,
confesso que vivi.



********

Companheiros de Estrada & Amigos