2 porquês.






por que me emaranhar
em contendas vãs
ufanadas

se abro os olhos
no romper das alvoradas
e sinto-me vencedor?
-- por que vivo
e deixo viver
cada cabeça
com suas moradas.


por que durmo
o sono dos mansos

se do meu recanto
vejo tanta dor?

 -- porque no dia
o que tenho de mais valia
é o meu pós-estupor
de  aceitar sem preconceito
a paz
que está comigo por onde eu for.



****

Companheiros de Estrada & Amigos