Canto a Leonora.




Leonora, Leonora
ah, seu balancê
deixas-me saudoso
meu peito em miserê


Leonora
já meu viver desfalece
se um pombo-correio eu tivesse
prum recado te levar
 ...

larga dessa vida à toa
volte como a ave que voa
estou na proa
de qualquer navio
a te esperar
na luz do dia
noutra espera
d'estrelas a cintilar
no espiral da mente
até te achar


Leonora
jambo de tua pele
a maciez do pêssego
que inda um dia rele
antes do golpe fatal
que meu ânimo sele


Leonora
quiçá pegue a vassoura
varra os espinhos passados
se és o resumo das frutas
delícias que inda provo
mas asco têm-me causado

Leonora
qualquer uma
onde estás?
se o galo canta
pro Sol raiar
se mais um dia nasce
nasce pra me judiar




**********

Companheiros de Estrada & Amigos