domingo, 13 de abril de 2014

com e cem interrogações





sem mais flores
o que os beija-flores
beijarão?

com menos água
pelo ouro aquoso
mais gentes morrerão

com menos oxigênio
mais gênios maquinais
os homens se tornarão

com menos amor
mais a dor invade meu coração

com menos isso
menos aquilo
minha terra tornar-se-á
a terra da aberração

por isso concordo
como o visionário Salomão
filho herdeiro de rei
que passou por provação
versou 
orou
o ícone
 o livro dos livros
imortalizou 
coroou seu quinhão

mas talvez meus versos
serão joias raras
num museu sâncrico
a serem descobertas
por um anarquista arqueólogo
cavando na contramão

e quem os ler
divulgue aos cegos
(corpóreos & espirituais)
que 
a todos 
minhas vãs palavras
devem ser jogadas
queimadas
no lixo da civilização


***