ora, ora direis...



ora direis ao idiota alcoolizado:
-- vá dormir! e que a sobriedade
de ora em diante seja teu elixir!

ora direis ao político manobrado:
-- chega de fingir! povo não é gado,
só os animais que votaram em ti
lhe servem de agrado!

ora direis a mulher adúltera:
-- vás bolinar no inferno!
se quiseres leva meu terno
ao próximo e vista-o,
e chores  a mesmice
ao lado de sua esquife!

ora direis ao padre safado:
-- mostre tua cara a Jesus,
o mesmo que não o conduz!
és anjo negro
tens vida de vagalume na luz!

ora direis ao artista decadente:
-- o sucesso do palco
é uma luz que se apaga de repente!
o que lhe sobrará
são seus pífios sucessos pretéritos
que cantarás solitário no presente!

ora direis ao salafrário:
-- afasta-te de mim, ordinário!
a paga de teus atos
acresceriam muitos adjetivos pejorativos
ao dicionário!

ora direis a fome pelo desemprego:
-- apenas uma porta se abra
pra livrar-me desta vida macabra!
um homem desonrado
que na rédea social foi criado
tão mais pesado sente seu fardo!

ora direis ao capiroto:
-- causa-me náuseas e arrotos
os cálices que me dás, gratuitos
são pútridos enganos
que poluem os esgotos!

ora direis ao homem de bem,
honesto e lutador:
-- com toda tua  dor,
renuncie à vida de terror
e, se preciso for,
morra humilhado
com os maiores dotes de valor!

ora direis, ora direis
aos frágeis, pobres e reis:
-- criem anteparos ao meu sucesso
mas o que vem de mim  a vós expresso
que nenhum  monte para vencê-lo
jamais hei de desanimar,
a sensatez e a minha fibra não meço
posto que o amor é um prato a me fartar

daí a tudo de ruim, direi
na lida, enfim, fortificado me despeço




***





Companheiros de Estrada & Amigos