TEXTOS MARGINAIS - 3






TEXTOS MARGINAIS - 3

À SOMBRA DO MEIO DIA E MEIO
OU SERÁ DA MEIA NOITE E MEIA?


Olha lá tudo que passa,
Olha lá todos que passam
Sem me ver.

Olha os 'burgos' com seus carrões, ó
Alinhados, cheios de soberba,
Olha lá, ó,
Filme no cine 'made in USA'
E o 'marketing' frenético
Da TV que emburrece.

Olha lá,ó, a celebridade
Que se faz da beleza corpórea:
Ganhou a maior grana
Mostrando a bunda e a boceta
Com aquela cara que os homens adoram,
Aquela carinha de puta.

Olha lá, ó, os religiosos
Com suas bíblias debaixo dos braços
Indo e vindo à igreja:
Uma franqueada, ó.

Olha lá, ó
Debaixo da ponte
O reverso da moeda, ó.

Olha lá, ó, na lan house
Todo mundo plugado
Navegando no mundo, ó...
Recados, negócio e negociata
Do velho, do jovem, do pobre ao magnata.

Olha lá, ó,
Os mananciais cheirando a bosta
Recebendo esgotos de áreas invadidas...
Aliás, política é bosta.

Olha lá, ó
Os nichos dos folcloristas,
Dos imigrantes que querem ser
Mais filhos-da-terra do que eu.

Olha lá, ó, a merda:
Os trilhos que sumiram
E nem viajar mais posso:
É rodovia, é rodovia
É estrada...
É só interesse, maluco...
Dos monopolistas.

Olha lá, ó,
Pobre quer grife, tá certo!
Tem direito!...
Produtos 'made in China', falsos...
Ainda muambas e mulas do Paraguai...
Ai!
Que puta vontade de ser rico!

Olha lá, ó,
Lá na indústria deficitária de Brasília
Neguinho que só aparece pra picar cartão
Ou assinar o livro...
Se aposentando com 4 anos de mandato...
Olha lá!!
Trabalhador se fodendo
Pra se aposentar com 35 anos na carteira...
E que ainda paga aluguel...
Já velho e doente.
Que porra é essa?

Olha lá, ó,
Você pessoa normal,
É um maluco que tá falando:
Que tem muito espírito de porco
A nossa volta chafurdando.

Olha lá, ó,
Tão invadindo as fronteiras
E nos roubando;
Olha lá, ó,
O que os milicos tão esperando,
Já que não tem guerra,
Pelo menos, protejam
A fauna, a flora, as riquezas minerais
E os índios que estão aqui desde antes.

Olha lá, ó,
Minha canção do exílio
À beira do social,
Vamos nos contentar ser emergentes
Se em cima de nós caga
Até os gringos indigentes?
Olha lá, ó!

Olha lá, ó,
Sou um maluco díspar e discorde de tudo,
Sou um dissidente da maluquez em geral...
Mas que puta que pariu é o meu Brasil!

Tiro o chapéu pros descentes,
Não é crítica de perdedor,
É só um flash memorizado
De quem vive
Daqui pra lá, de lá pra cá
Sem rumo nem facção,
Que se fodeu demais,
Que irou-se demais
Por ser cidadão do mundo:
Um maluco, eremita,
Num país em que tudo de bom e ruim
Se transforma em plataforma política.

E aí? por aí,
Não tenho diretriz,
E aí, ó, maluco!
Só falei merda?...
Sou débil mesmo.
Mas não penso em brutalizar o mundo.

***
CHICO ESTRADEIRO
(um andarilho maluco)



***

Companheiros de Estrada & Amigos