Eus que se encontram.




"Vemos o mesmo 'filme' na mesma frequência.
O mesmo 'filme' em telas translúcidas, separadas.

E, em dueto, com palavras diferentes resumimos
o mesmo fato. Mas já não somos nós que falamos!
São nossos outros eus como luzes transpassando a tela

São nossos pensares etéreos, fugidios, que se
procuram em busca duma realidade oculta,
inexplicável.

Na tela ficam só nossas imagens..."




EUS QUE SE ENCONTRAM
(dedicado a uma poetisa)


Quisera, ó bela, possuir os teus dons
Energéticos, cósmicos tal telepatia
E em poesia alegrar-me dos teus sons
Pra minh'alma aflita que em ti procura
Num fantasiar telúrico - tua cândura!

E se já tens minha imagem projetada
Na tela invisível da composição
Bipartida na antimatéria desse pensar,
Quiçá nos encontremos em comunhão
Longe dos tentáculos do vil sonhar!

E se teu corpo aí falas por ti, me vês
E interpretas meu interior com euforia,
Por que morrer se a distância se desfez
No lume de nossas almas em sintonia?





***
Postar um comentário

Companheiros de Estrada & Amigos