domingo, 1 de junho de 2014

se por mais um longo dia


se por mais um longo  dia
eu vencer a morte
e uma voz angelical me disser
"vá pro norte
largue pra trás teus bens
tua vida de prazeres
teus vis afazeres
- siga! -
fuja desta tua vida de loucuras
mas ao mais santos dos homens nada diga"

- atenderei -

se caminhando
demônios me importunarem
com festas maléficas
regada a bebida e risos histéricos
em coro de mil decibéis
confundindo minhas entranhas
...
a eles responderei
vendo-os de caras a rés do chão
com blasfêmias  as suas manhas
"de que me adianta ganhar o mundo
e perder minh'alma?
de que me adianta uma estrada plana
sem os precipícios das dificuldades
se tenho fé e  asas para romper
as tempestades que a cabeça cria?
de que me adianta a esmola pútrida
tal semente podre que farei germinar
se todo felicidade plena
já não pode me comprar...?

se por mais este longo  dia
eu vencer a morte
no jogo de toda sorte
reitero 
"guio-me pelo espírito
da voz inaudível do vento
inconfundível
capaz de gerar santos invisíveis
como espelhos e reflexos gravitantes
que  só os olhos da fé veem"

*****