sobre trilhos & descarrilos




perverso anteparo no meu peito raia
dos perfis gélidos de rumos ingratos
curva declinante doravante espraia
meus tombos em saltos a montes inatos

se já me vi feliz cá meu ser ensaia
à imensidão do mar em flashes opacos
consagro meus passos nesta negra traia
sangrando-me frágil em surreais fatos

tal trem na curva que este querer vão taia
tal o destino campeiro e seus ornatos
até que de mim uma saudade saia

se já não regresso com novos relatos
na ascensão e queda desta febril tocaia
onde vejo-me ir em presságios abstratos


****

Companheiros de Estrada & Amigos