segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Chico Pinga.






Chico Pinga qué mais não
Casinha de barro e sapé
Chico Pinga tá carente
Dum longo cafuné.

Chico agora qué
TV e interné
Já nem liga pro passaredo
Que lá fora faz tropé.

Oia Chico lendo
Revista de sapato
Vai comprá um pisante novo
Pra amassá barro no mato.

juntando uns trocado
Pra comprá uns bloco
Qué largá da enxada
E dá rolê de moto

Tá até se vendo
De casa de cimento
Sapatênis e moto
Levando a Chiquinha
Tirando  fotos
De celulá Moto,
Rola tanto sonho
Que meió é
Que o galo cante logo
Pro Chico acordá
Passá a mão no borná
Ir pro Brejo da Taboa
pescá uns lambaris
Fieira grande
Numa pescada boa

Chico Pinga
Que em noites de Lua cheia
Conversa c'as galinhas
No verde que rareia,
Diz que logo tudo some
Tudo será engolido
Pelo monstro Lubisóme,
Deu no jornaleco
Que o pogresso tudo come


(2008)


****