sábado, 20 de setembro de 2014

amores de infância.








ah
os amores de infância

quanta errância
posso hoje notar nos meus passos

mas se eu pudesse
se inda eu pudesse
correr à beira dos riachos
levaria flores aos maços

àquela que não esqueci
neste presente
a fazer-me regredir
relembrar
seus mínimos traços

longínquo é o desejo
que não envelhece


***


***