quarta-feira, 1 de outubro de 2014

sons da mesma tecla.





há quantas noites morro
sem o socorro
de um gesto caridoso

há quantos dias renasço
sem me lembrar
que ontem morri

quantos dias
quantas noites
terei pra esquecer
tanto viver
que não me acontece



***