quinta-feira, 12 de agosto de 2010

ELA

erva daninha do bem
nasce sem ser semeada
aqui num campo além

quanto mais morre a praga
renasce adivinha quem



a erva daninha do bem
quanto mais pisada
do nada mais bela vem



a poesia
tão daninha
tão minha e de outrem





***