sem título.



sabendo que ia morrer
como eu
voltar ele não queria
relembrar
o que há muito nele morria

assim
mais uma etapa vivia
a cada ideia que lhe ocorria

pensou em brecar
o maldito surto
furto à sua ousadia

mas só possível seria
se morresse de repente
sem pensar mais à frente
na nódoa de cabeça vazia

preso à real
ciente
de tudo que é
tudo que não lhe pertencia

esporeou a inércia
aceitou
o caminho
girando tal moinho
moendo mais um dia

até anoitecer
a dor que lhe feria
tão igual
ao riso irônico de ver-se morrer
tal esperança fugidia

passam os dias
passam as noites
tristeza não passa
quando vem a alegria
simplesmente traz o adeus
simplesmente não contagia


***


Companheiros de Estrada & Amigos