tão fácil ser bom dentro do pecado sedutor





o mal que se cale
e enjaule minha ferocidade

preciso respirar
acalmar meu pulsar

tirar meu sangue do olho
liberar-me  do ferrolho


 e todo o bem inato
no estalar dum metálico  prato
 vem me despertar
a seguir a roda viva

que tudo apraz 
mas nem tudo convém

metade de meu cérebro é mau
posso tudo encobrir
com a metade do bem

que fale por mim a mansidão
na luta sem trégua
que travo com as sobras
da pureza que inda há no meu coração

minha santa ignorância
é exemplo bruto
do que luto pra não ser

soberba é a gratificação
de perdoar  e ser perdoado

mas há gente tão ruim
que nasce, vive e morre
em pecado

chamo isso de 'complexo dos fracos'
pois quem é forte e valente
perdoa até o fim
se até o fim for humilhado

todo homem é um santo
emana luz

mas muitos se travestem com capuz
porque a covardia de ser manso
o  traduz



****










Companheiros de Estrada & Amigos