segunda-feira, 20 de outubro de 2014

como posso te amar




como posso te amar 
até ao clímax de qualquer loucura
se meu ímpeto se  desvanece
tece  devagarinho meu padecer
a cada sonho que vai ficando para trás
como pedaço de jornada
muito além do meu limite
muito além do que ousamos viver

como posso te amar
se já não sei de mim
sem ter a resposta
do por que o amor é assim

como posso te amar
se longe vai meu desejo
em ver o contrário do que vejo
de pressentir o fim

como posso te  amar
se não tenho a fórmula
nem a exatidão
de um coração
que trai meus sentires
ao revelar-te
meu adeus final
 enfim



**