sexta-feira, 10 de outubro de 2014

um vagalume na escuridão







tudo que tenho
foi-me dado de graça
até um caminho

há uma senda
que me leva ao objetivo

de uma luz negra
no fim  de qualquer jornada
pra me iluminar

que me fará ser eu mesmo
no lusco-fusco das emoções

nem  que eu morra
e a razão não me socorra
no afâ de acendê-la

sem entrar em pane
com a mínima  luz
a um palmo de meu nariz




***