terça-feira, 4 de novembro de 2014

do talento.


assim como o pavão não precisa de enfeites para aparecer,
o insensato precisa esbravejar a plenos pulmões para ser notado
pelos silentes que, apenas com o olhar, externam a nobre arte.

para saber se o poço escuro  é fundo,  joga-se uma pedrinha 
e conta-se quantos segundos  a mesma leva para tocar  a água;
para saber se a mediocridade é desmedida, deve-se dar uma rosa
sem espinhos para não ser coberto pelas pedras atiradas
dos falantes  que nada dizem, nada constroem, nada acrescentam,
pois são inábeis para conviver com suas próprias frustrações.


***