segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

peneirando.



navego pelos meus silêncios;
dos vazios crio escapismos
que beiram o centro denso
de apenas flertar com a sabedoria

garimpo o brilho no cascalho
do entendimento que mil vidas
me dariam as respostas


***