sinto em não mais sê-la.



a criança brinca noutro mundo feliz
seus sonhares por anos irão resistir
mas as veras me trazem a cicatriz
de ser douto, vivido e não me iludir

descreio -- confesso -- nesta minha vida
opositora ao bestial futuro sem saída,
assim, a  dias pueris homem regresso
sendo tal  ela em sua  hipnótica ida



***







Companheiros de Estrada & Amigos