terça-feira, 17 de maio de 2016

hoje apenas colho ressacas...




noite a sós ao lume das estrelas...
eu tateando tua geografia...
a delícia de um sono sonhado...
o amor além ABC
tua língua me dizia
...

ah
 mas o tempo
do tempo que eu não sabia
fazia-me moleque maluco
pois ali nosso tempo inexistia

ah
sem achar uma fresta à letargia
fiz-me refém deste silêncio
sistêmico
aflitivo
morreu a pueril fantasia

ora
mulher
que das minhas tolices ria
ter o futuro contigo
hoje era tudo o que eu queria

tudo passa
como carros apressados na rodovia
nossa direção contrária
e a tristeza de mim se apropria

nada mais me trará
teu olhar
teu respirar
teu cheiro
o suor de teus poros
nossos sentidos em sintonia

meus desejos ora se perdem
sem querer lágrimas me vertem
chorando numa cama fria


***