o rato.



um poeminha que não sai de moda...








O RATO RÓI
O QUEIJO VIRA MUNDO

NA CALADA DA NOITE
ELE, O RATO, PASSEIA

SOBREVIVE DO LIXO
E NO LIXO TRAPACEIA

VEM PELOS CANOS
NOS ESGOTOS HUMANOS.

A CIDADE É SUA MORADA
EMBAIXO DO MEU NARIZ
VEM À TONA SUA NINHADA

O RATO RÓI
O QUEIJO VIRA MUNDO.

DESDE O GENE
TEM SUA PRESENÇA SOLENE

RATOEIRA E RATICIDA
NÃO TIRAM SUA VIDA

O RATO É DE TODO NO MEIO
NO MEIO O RATO DE TODO É

DESENHO QUE VEJO
TÁ ROENDO TODO O QUEIJO.

ah!
tem um safado
que toda hora rouba
a ração do meu cão


(1986)




****

Companheiros de Estrada & Amigos