sábado, 21 de janeiro de 2017

Nota do autor.



"Nunca ganhei um centavo com minha arte, afinal sou livre, eclético e marginal.
O que me mantém atuante é o fato de eu ser reconhecido mundo afora como um 
poeta maior muito além do besteirol existencial."

***


Desde já, agradeço aos comentários oriundos dos USA e
Europa. A todos, um abraço fraternal, sem distinção.


***