sábado, 19 de agosto de 2017

cadê meu óculos?


quando perco 
o meu óculos bifocal
sem me lembrar onde o larguei
fico tipo o viciado sem seu  jereré
na busca implacável de achá-lo

dos males o menor...
esta situação que amiúde acontece
me permite alguns momentos de reflexão
:
como é duro ver tudo embaçado
ver nas letras um borrão
de um título escrito


PAZ
(primeiro atributo zeloso)
em vermelho manchado
um tom de cor pendente
à flor da pele
que esta  minha cegueira temporária
dá ao meu intelecto um gole de vazão

cadê meu óculos, caramba!

preciso re-enxergar urgentemente
pra voltar a fazer número
na  realidade sem explicação

cadê meu óculos?
- me pergunto
remexendo as gavetas
perfazendo meus últimos atos

ah
será que o deixei no banheiro
quando me olhava no espelho
com cara de um durão forasteiro
que ia fazer justiça
com a caneta na mão
ciente de que palavras 
e só  as palavras
são capazes de dar luz a febre mundana

que um dia me cegou
me exilou dentro de mim mesmo
desertando-me do grupo
para achar-me em escura retidão?


cadê meu óculos, caramba!


***



Postar um comentário