sábado, 17 de setembro de 2011

o tal de...



peguei
usei
chacoalhei
guardei
tornei usar
chacoalhar
guardar
não é o que estão pensando.
é apenas meu relógio de bolso
automático que ganhei
duma mãe-de-santo
que toca atabaque num terreiro
onde os guias roubam
todo o dinheiro dos possuídos,
e que também tem o costume de
pegar
usar
chacoalhar
guardar
seu perfume
que até o santo dela foge
quando ela cantarola o tal de
peguei
usei
chacoalhei
guardei
vixi! credio em cruz!
só tomando uma, sô!
-- sicupira,
como tá meu crédito?
que horas são?
meu relógio parou bem agora!
sempre perco a hora!
esse amuleto tá por fora!

-- vá tomar um passe, josafá!
leva a oferta sem demora!
-- tá. fui. saravá!


***