só freud explica, mas aceito sugestões.



apaixonei-me por uma sul-coreana
tudo que eu fazia ela sorria
com a cabeça dizia sim
mesmo que comesse capim

aí chegou um japa
arigatô
(um mineiro come quieto?)
diferente deste garanhão tupiniquim
olhou pra mim
com saudação ioiô
pegou na mão dela
me deixou ao deus dará
se foram
dizendo-me saionará
(que vontade de dar um cacete neles!)

que dureza...
penso agora na tailandesa
separada dum aborígene da oceania
numa negra sudanesa
separada dum alemão
numa francesa liberal
holandesa-americana
do tipo suburbana
até uma titia cabocla
cortadora de cana
ex de um pajé qualquer
num canavial
da alta sorocabana

será que meu problema com mulher
reside mais na geografia
do que na anatomia?

ei analista:
meu caso é grave?



***

Companheiros de Estrada & Amigos