(de)pressão







sinto uma tristeza imensa
de tudo que eu podia ter feito
e não fiz

o que deixei de fazer
indo pra onde apontava meu nariz
reflete-se no que sou hoje
da quase felicidade por um triz

quem chorará por mim
senão o excluído a quem ajudei
outro
a quem meu sangue doei
rebelde por ver seu fim

há um mar de possibilidades à frente
que me vêm na contramão
ai de mim!
que inda não vi o querubim
de quem sou em mente
:
um corpo degradante
de luz pungente

a fim de superar-se
numa nova chance
e
preencher
no vazio desta hora
algumas lacunas vegetativas
tais a de oferecer meu quê vital
numa loja de penhora
...

Companheiros de Estrada & Amigos