segunda-feira, 16 de junho de 2014

CHICO PIRULITO









minha chica
pirulita do meu tabuleiro
achei você na rua
seminua
desprezada
chamando jesus de genésio
eta boca suja!
sentada no bueiro
pior que a mulher rendeira
que fazia renda pra mãe
e cometia sacrilégio

volte
por favor
até meu cão perdigueiro
sente falta de teu olor
a casa tá vazia
o jacarandá em flor
pras galinhas fiz um galinheiro
pras cabritas um cercadinho
fiz até um novo banheirinho
pra cagar sossegado o dia inteiro


minha raiva naquele dia
foi por causa da porcaria do amor
só porque dei uma de beija-flor
cê me traiu com aquele nego berebento
que na escola de samba toca tambor
com aquela camiseta do mengo encardida
parece aquele cara do filme de terror
fiquei feliz quando soube
que ele pegou uma gonorreia daquelas, eh, eh
e foi pro desfile com o pinto em chamas, ai, ai


tudo bem
comprei um garrafão de pinga
7 pacotes de cigarros do paraguai
mortadela e mussarela de muito sabor
tô regando o pinheirinho
pra gente encher de bolinhas coloridas
+ um pisca-pisca
(quem ver dirá que aqui tem um lar cristão)

pense bem nas compensações
mas sem retaliações

eu de sultão
você de odalisca
no natal/carnaval
desigual na canção
seu lindo estrebilho
onde teu galo levantará a crista
bicando teu famoso bolo de milho

desamassei as panelas
faxinei o barraco e o quintal
comprei uma TV usada
pra gente assistir a novela e o jornal
um bom vinho da terra do pinochet
ah, e um monte de pano de saco
pra fazer guardanapo com barrinhas de crochê

esse filho que você arrumou
hoje em dia é normal...
lembra da minha ex
que foi iludida por um cafetão
que do nada pegou a estrada
só com a roupa do corpo
meio que embriagada?

sabichona
disse que ia ser biscate
no distrito federal
ah, se meteu num assalto
e foi encontrada morta no asfalto
é, seguiu a procissão faroesteira
aventurou-se
cresceu o zoião
virou estatística brejeira

vem
que sem você ando meio espacial
não vamos chorar o que passou
daqui em diante tudo será legal
já pensou nós dois
dando uma piaba de bilhar
nos marrecos dos botecos
que acham que sabem jogar


vem vai
que agora eu caso
senão me arraso
e me apincho
na frente do trem da central
chupando meu pirulito
quer dizer
chupando um pirulito
minha marca existencial
meu apelido
que desde moleque tenho
quando eu passava com meu tabuleiro
e os manés me diziam:
e aí ô chupa-chups
chupa bonitinho
assobiando o hino nacional, ahá-ahá

maldita criação
fiquei liso que nem sabão
sabe que logo vou me aposentar
com uma carteira em branco
sem ficha no inss
sem conta no banco
mas a união faz a força, né não
tô até pensando numa conta conjunta
pra selar nossa paixão
já pensou eu e você
viajando pelo brasil
na carroceria dum caminhão
numa lua de mel eterna
à espera duma cisterna
pra nos refrescarmos nus
nos confins do sertão

que sonho, hein
sem sair do nosso barraco
nós e os nós
deste nosso amor/carrapicho
joga fora no lixo a incompreensão
o seu chico te aceita de volta
apesar da provável separação

ah, a plaquinha com nosso nome
pendurei na entrada do portão
pra você saber o quanto sou sincero
é, a que tem dois corações
unidos por uma flecha que perpassa-os
como um espetinho de churrasco
humm!!!
tô vendo o barraco em festa...




***