Sim, sou um escritor marginal!


"A literatura da periferia está em voga hoje, Assim como a dança, a música e os costumes.

Considero-me também um escritor marginal. A trinta anos atrás escrevi  poemas com
gírias e falas próprias do meio em que eu frequentei e frequento. Sempre achei haver
mais brasilidade nesse tipo de arte onde a elite é colocada em segundo plano, embora
a mesma é quem dê as rédeas para artistas que fogem do modelo excluído na
sociedade politicamente correta.  Nunca publiquei um livro  e nunca quis escrever
aquilo que as grandes editoras me propuseram. Nunca me vendi por achar que minha
escrita transcende a qualquer classe. Sou escritor marginal sim, eclético e camaleão.
Não olho pra cara de ninguém e não me importo com sua condição social. Quero apenas
deixar minha obra para as futuras gerações de cultos e leigos, mas, antes de tudo,
pessoas iguais a mim sem eira nem beira. Taí meu recado."

Rehgge.



***

Companheiros de Estrada & Amigos