quarta-feira, 1 de outubro de 2014

lembranças efêmeras.




morreu um ente conhecido
dele  sempre vou me lembrar

até que outro mais querido
morra em seu lugar

quando eu morrer
não quero que lembrem de mim

lembrem-se somente
que a vida foi-me bela

e na capela
já nem orem a meu querubim

pois na capela
nunca orei por vocês

apenas me ajoelhei
pedi uma vida longa
a cada dia
pra morrer
um de cada vez

quando eu morrer
suas preces a mim serão esquecidas

mas vivo
vivo a me perguntar
:
quando eu morrer
se sou benquisto
por que insisto
que outro
de mim há de se lembrar

se pra ele
viverei
até que outro ocupe o meu lugar


***