sábado, 31 de outubro de 2015

muito além da carne e dos sentidos.





o frio carnal
flash avermelhado
frisa no solo
a pele sem pelo
de cada polo 
do corpo indolor
sem cor--pisado

a mulher vegeta
deleta a razão
ao redor rodeia
cega à paixão:
cristal quebrado
onn  de solidão

discreta e secreta
invisível
tais raios alfa e beta
nada mais lhe afeta
a vera ilusão
de ora em diante
só o grão-pórtico 
oceano de vazão

a alma dele vagueia
geme a flux
chama-a--pranteia
pro mito infinito 
num grito mudo
à derradeira luz
:
estrela transparente
paira rente a teia
tal táxi levitante
à espera dum clic
pra unir dois corpos
noutra dimensão

***