quarta-feira, 21 de outubro de 2015

no meio do meio termo.



cada louco
um mata 
outro põe fogo
mas  
o foco
qual foco

loucura residente
se mata se mata
acidental
sem causa pendente

o louco 
o louco
tá na rua
solto
carente

ninguém é normal
ninguém é normal

o sanatório
insano 
não sana
a city 
o modelo vigente

o louco
cada louco
no  carro
que sarro
tamanha alucinação
outros
viandantes
com
 (!!!)
(???)
por causa do modelo
do modelo de civilização
e assim por diante


tudo é loucura
tudo é fuga

leio o jornal
há vagas 
há vagas

exílio numa ilha louca
consciência
o que é consciência

ah 
minha loucura
vai tão longe
se perde na multidão
mas
o foco
qual foco
tenho andado tão neutro
bestamente neutro
em paz
sem rédeas
 sem direção


***