sempre quis ser a semente geradora de bons frutos.







a travessia é tão curta
a mocidade tão ligeira,
a lembrança não me furta
cobrar-me um monte de besteira

fui de mim meu fadário
copiei vários (de) mentes sãs

faz tão pouco tempo
vivi o velho experimento
no espelho de minhas cãs

em renasceres vários
 daria tudo pra reviver
alegre os amanhãs
e mansamente
rever meus erros primários

o marco zero
de meu despertar
vive penso em minha retina
mas doravante espero
resgatar o lume d'aura-menina

a vida é uma brincadeira
no tempo decrescente,
fui a plantinha inocente
 já-agora árvore sementeira

***



Postar um comentário

Companheiros de Estrada & Amigos