sexta-feira, 9 de outubro de 2009

atração sem explicação.




sem fingir, o que mais gosto em você
é algo indivisível que não sei dizer
não é teu gingado de sensual balancê
nem tua anatomia escultura de prazer

nem o recato do meu peito fuzuê
nem teu olhar no meu me conceder
mil desejos às tuas ancas em bambolê
se seduz-me calada  pra  eu descrer

que te faço anti-versos mil de A a Z
que te amo sem desculpas sem porquê
desta atração por ti este meu amor ser

mais, um pouco mais que possa parecer
se colo em ti sem que ouses perceber
que pra te amar jamais fui e serei dublê


***