terça-feira, 4 de maio de 2010

NOSTÁLGICO





se você aqui
e eu aí
sem a alegria de voltar
nossa chama se apagaria
seria pedra cravada
na estrada
sob o avião no céu,
já não haveria esquinas
a duas melancólicas sinas,


seríamos estrangeiros
na terra que nos acolheu
olharíamos no mapa
sem fronteira o nosso eu
pra dimensionar
a inversão que se deu

mas somos nautas utópicos
aeropoetas nas orlas
de mares além
de quem encontrou o olhar
em qualquer estação
montados num pégaso alado
ao som do samba e do fado
galopando na emoção,

na lembrança de dois países
de todos, teu e meu
já agora somos mais felizes
na saudade que morreu

daqui, eia brasil
de encantos mil,
daí, eia cabral
eia, do porto portugal!

***