o recanto de meu ser.







ladeando a estrada turva
miro o norte de minha sorte
e sigo
e sigo desesperado
a um nicho virginal:
marca divisória existencial

ladeando a gruta da estrada
onde os morcegos têm morada
adentro ensimesmado

espero o átimo fatal

lá fora tem uma estrada turva
uma estrada racional
lá fora tem uma estrada turva
que me trouxe aqui

brilha o Sol lá fora
sobre a estrada turva
toda hora mas agora
encontrei a luz que perdi

***

Companheiros de Estrada & Amigos