segunda-feira, 24 de novembro de 2014

amigo.



busco-o agora
como uma pedra a natureza moldada

cá em minhas mãos a atiro longe
e entre outras oculta-se

com o tempo vai fixando-se

não a vejo
crente que ela permanece algures



(12/84)



***