quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

desventuras


poeta aventureiro
ladrão de corações
chora escondido
inventa amores
não sabe amar
nem lidar
com suas emoções

poeta aventureiro
suas divagações
do céu  ao inferno
tá sempre no pêndulo
girando como pião

se se lhe fosse dado 
o dom de amar
se aventurar
seria 100% poeta
 autoescravo
amante da solidão

poeta aventureiro
cabeça de menino
bicho doido
ingênuo pra vida
descrê em destino

um dia é o badalo
um dia é o sino



***